SICOS

Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviço

Secretaria estuda parceria para desenvolver estratégias na condução de políticas públicas

O Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria da Indústria, do Comércio e do Serviço (Sicos), realizou uma reunião nesta terça-feira, 2, com representantes da consultoria estratégica, Stratega Global, e a FGV Projetos. O objetivo é estudar uma parceria consorciada com essas instituições, que ajudarão na construção de estratégias para nortear a criação e a condução de programas e políticas públicas.

O secretário, Silvio Dreveck, juntamente com o adjunto, Jonianderson Menezes, e os diretores Fabiano Ceretta, Anderson Anthony Linzmeyer e César Winck, recebeu o CEO da Stratega no Brasil, Tiago Grandi, e o Executivo da FGV Projetos, Aldo Labaki.

O encontro serviu para as empresas conhecerem a Secretaria e as futuras demandas. O secretário da Sicos analisa que a parceria pode auxiliar na obtenção de dados e na construção de políticas públicas de acordo com o plano de governo do Jorginho Mello e das demandas da indústria, do comércio e de serviços. “Nosso objetivo é aprender com quem possui experiência e a Stratega e a FGV Projetos são empresas que conduzem estratégias de outros órgãos estaduais e até internacionais”, explica.

O secretário adjunto Jonianderson Menezes acredita que a parceria pode servir para dar informações, que vão auxiliar na implementação de ações para empresariado catarinense, principalmente as voltadas para as micro e pequenas empresas.

O CEO da Stratega e diretor da companhia no Brasil, Tiago Grandi, enfatiza que estratégias implicam em escolhas e que isso não é fácil. “É necessário uma metodologia que dê claridade e ajude o ambiente complexo que envolve muitas partes interessadas, sobretudo na agenda pública de governo de Estado e desenvolvimento econômico. A proposta foi começar a desenhar passo a passo uma agenda de trabalho envolvendo as principais lideranças do Governo e da Secretaria para definir quais são os melhores caminhos para atingir o sucesso do estado. É um primeiro passo que direciona os recursos, a atenção e coesão do time para os próximos anos”, conclui.

O executivo da FGV Projetos, Aldo Labaki, diz que é uma satisfação bater um papo com a Secretaria. “Precisamos reforçar a importância de um planejamento de dados e informações, que indicam o estado atual das coisas, permitindo uma maior clareza na forma de planejar e definir o norte da Secretaria para os próximos quatro anos. Essa conversa serviu para entendermos a realidade e os desafios que vêm pela frente e como a instituição pode municiar a pasta com estudos e dados que permitam um norte certo de ser alcançado”, explica.

O diretor de micro e pequenas empresas da Sicos, Fabiano Ceretta, foi um dos responsáveis pela proposição da agenda. “O planejamento estratégico e a estratificação da estratégia em cada grande área da Secretaria é importante para o poder público porque ajuda a direcionar recursos, melhorar a eficiência, alinhar as ações, antecipar problemas e aumentar a transparência e a prestação de contas. Temos como premissa balizar as nossas ações e construir as nossas políticas e programas, sempre ouvindo os stakeholders e também trazendo a experiência de quem ajudou a construir políticas inovadoras não só no Brasil, mas em países importantes de todos os continentes, levando em conta, é claro, as particularidades do estado de Santa Catariana e o ambiente de negócios nas quais as nossas empresas estão inseridas”, conta.

A reunião terminou com uma dinâmica que apontou os principais desafios da Sicos, onde destacaram-se ações para incentivar o setor produtivo e que estarão sendo desenhadas e debatidas em curto prazo.

Sobre a Stratega e a FGV Projetos

A Stratega é especialista em criar e implementar estratégias a nível corporativo, empresarial e operacional. Além da unidade em São Paulo, a Stratega possui escritórios na Alemanha, Inglaterra e Índia. A Stratega atua em conjunto com a FGV Projetos, que é a unidade de assessoria técnica da Fundação Getúlio Vargas, responsável pela aplicação do conhecimento acadêmico gerado e acumulado em suas escolas e institutos. Auxilia organizações públicas, empresariais e do terceiro setor, no Brasil e no exterior, desenvolvendo projetos nas áreas de economia e finanças, gestão e administração, e políticas públicas.

Texto: Pablo Mingoti